quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Vestida de luar

É Noite de Lua-Cheia
Desde o pôr do Sol e ao longo de toda a noite
Há a dança das Constelações
Anteve-se um Céu de Estrelas
E nós como as mariposas da noite
Queimamo-nos mil e uma vez
De encontro ao prazer
Vestida apenas de luar
Há Magia no firmamento
Vejo o teu olhar
O teu desejo embriaga a tua loucura
Num perpectuar activo de prazer
Sob a Lua
Sucumbe quando o orgasmo chegar.

8 Comments:

Blogger Daniel Aladiah said...

Tempos idos de mundos perdidos...
Um beijo
Daniel

10:56 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Grata pela visita.
Voltarei ...hoje estou de saída para o baile de finalistas dos meus alunos.
Tenho de fazer a minha “make up”...LOLOLOL....
BShell

4:50 da tarde  
Blogger DE PROPOSITO said...

Olá.
Linda foto (uma mulher vestida de luar).
Não me alongo muito, estou com pensamentos pecaminosos.
Fica bem.
Um beijinho para ti.
Manuel

9:03 da tarde  
Blogger Bad said...

lindo..

simples, mas com enorme significado.

obrigada pela tua visita :)

beijo

2:03 da manhã  
Blogger Nilson Barcelli said...

Lindo e sensual o teu poema. Gosto da forma como escreves.
Um bom domingo.
Beijos.

2:09 da tarde  
Blogger o alquimista said...

Esta lua é feiticeira...E a lenda acontece. Em cada noite na Baía do Silêncio queda-se o céu na noite sombria, solta-se o sonho a fantasia...
Luminoso domingo...

Doce e terno beijo

5:51 da tarde  
Blogger david santos said...

Olá!
Poema, lindo. E a imagem assenta-lhe que nem uma luva.
Obrigado.

9:41 da tarde  
Blogger 0.0 said...

Sim, foi num prédio de uma rua da baixa que aconteceu pela primeira vez.
Foi exactamente assim, com os verbos irreflexos do presente trocados pelo futuro mais que perfeito, e a correcção de um passado de luares desencontrados.
Os corações semi-habitados a dar lugar aos lábios molhados.

10:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home