sábado, julho 21, 2007

Erro sempre o caminho

Por entre jogos de bocas, braços e pernas
O pólen que por mim escorre está fundeado na costa do prazer
Línguas em transmigração
Ópera de gemidos
Navegar no teu corpo
Acender o teu desejo
Mergulhar no teu sexo
e
Beber em ti
Fui ao teu encontro
MAS
Porque me perdi no caminho
Evitaste saber quem sou
Não ousaste percorrer comigo, um qualquer destino
Saltar, rir, amar
O silêncio devora o dia

6 Comments:

Blogger POETA VAGABUNDO said...

o silêncio devora o dia...que frase perfeita...
poem te para cima...mas quem sou eu para te dizer isto...
deixo-te um beij meu vagabundo...

11:21 da manhã  
Blogger Nina said...

leio e não acredito.

2:21 da tarde  
Blogger POETA VAGABUNDO said...

olá de novo...se estas ainda down, espero que sorrias um pouco até porque a chuva venceu de novo o forte verão hehehe
beijo vagabundo

7:00 da tarde  
Blogger Aspásia said...

UM DIA ENCONTRARÁS O CAMINHO QUE BUSCAS... SE CALHAR NÃO O ENCONTRASTE AINDA PORQUE NÃO ERA O CERTO PARA TI!!!

ATÉ CERTO PONTO, PASSA-SE O MESMO COMIGO, MAS AGORA, ANTES DE PROCURAR NOVOS CAMINHOS NO AMOR, TENHO DE FAZER UMAS GRANDES ARRUMAÇÕES - NO SENTIDO LITERAL...

BEIJINHOS

1:15 da manhã  
Blogger Brain said...

Pois...

Mas há TANTOS caminhos...
Haja vontade para os percorrer,
E sabê-los percorrer de uma forma leve,
Descontraída,
Saboreada,
Para que,
No caso de não ser o certo,
Não ficarem marcas desnecessárias,
No nosso corpo vida.

Um beijo.

2:51 da tarde  
Blogger 0.02 said...

e ás vezes é o dia que devora o silêncio.

devorar é preciso

11:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home