segunda-feira, dezembro 10, 2007

“Se tu viesses ver-me...Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...
Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...
Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri
E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...”
Florbela Espanca

9 Comments:

Blogger £oµ¢o Ðe £Î§ßoa said...

A Florbela tinha (tem) muitos espinhos, mas todos cheiravam (cheiram) a rosas.

7:46 da tarde  
Blogger AP said...

Talvez gostes, talvez não, mas não deixes de espreitar

http://inconfessaveisegredos.blogspot.com

10:37 da tarde  
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Narnia
Muita beleza.
Festas felizes!
Um beijo
Daniel

12:15 da manhã  
Blogger Aspásia said...

FLORBELA NUNCA CANSA!
ADOREI A IMAGEM, MESMO A CASAR COM O POEMA...

BEIJITO CANSADO E POUCO MÁGICO ;]...

12:03 da manhã  
Blogger Bichinho said...

Lindo! Beijo fantasma.

5:11 da tarde  
Blogger Rafeiro Perfumado said...

O poema é engraçadeco, mas a moçoila tem uns pés muito feiosos...

11:13 da tarde  
Blogger Francis said...

sempre á tardinha.

3:50 da tarde  
Blogger A.ses.i.oM said...

Cheguei aqui e deparo com este Poema que me fascina!...
Poema de uma Poetisa que igualmente fascina, pela Poesia e pela vida!...

Acho que voltarei pra ver-Te, não sei sei se à tardinha... Mas voltarei...

Beijinhos... :)

8:46 da tarde  
Blogger Rute said...

Nunca é de mais ler coisas da doce Florbela. =D

12:06 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home